Destacado

Sorteio HCE

A família HCE está promovendo um sorteio, quer participar? Dá uma lida nas regras abaixo!

13669607_675107582636222_6703615269871285478_n

LIVRO “A SENHORA DO CALDEIRÃO”

> R E G R A S:

1 – Curta a página Histórias de um Círculo Esquecido (https://www.facebook.com/circuloesquecido)

2 – Marque 4 amigos no post OFICIAL;

3 – Compartilhe a imagem OFICIAL em modo PÚBLICO;

4 – Comente em pelo menos 2 (DOIS) textos do blog (https://circuloesquecido.wordpress.com/)

> Participe pelo link: sorteiefb.com.br/tab/promocao/575458

> Resultado sai na data: 30/08/2016

 

Boa Sorte!

Eu Sou

13866666_958572920932552_1050535225_n

Por Gabi Waleska.

Separador 8

Nasci das flores, dos campos, das sementes espalhadas pelo vento.
Nasci nas árvores, nas folhas, nos galhos crescendo.
Sou a água que cai da chuva, lavando, molhando, chorando.
E o frio. Sou o inverno.

Nasci da areia, da terra fértil, das pedras, das montanhas.
E sou vulcão, sou lava, sou a chama ardente.
Nasci do mar, das ondas, das conchas.
Sou correnteza, sou rio, sou cachoeira.

Eu vim sem pedir, sem saber, sem motivo.
Eu vim para ser.
E sou.

Sou a Lua, sou o Sol.
Dia e Noite, Sombra e Luz.
Sou Calor, sou verão.

Nasci do deserto, do nada, do quente.
Nasci do Oriente.
Sou os temperos da Índia, as cores, o mudras.
Sou a neve da Sibéria, a vida no Nepal.

Nasci do orvalho, da primeira luz do dia, do clamor dos pássaros.
E sou fada, tenho asas, saio do chão.
Nasci da grama verde, do odor matinal.
E sou gata, sou cão, sou a presa correndo pela relva.

E vim para cá, para este mundo sempre a mudar.
E vim para amar.
E amo.

Sou Estrela, sou Planeta.
Bem e Mal, Morte e Vida.
Sou Frescor, sou Primavera.

Nasci de cometa, de energia, de vácuo.
Nasci do buraco negro, do gelo, do metal.
E sou ser, sou animal, sou sangue.
E sou cristal.

Nasci dos elementos, terra, água, fogo e ar.
Sou nascimento, crescimento e morte a chegar.
Nasci dos gritos, dos bárbaros, dos nativos.
Sou tradição, sou rebeldia, sou ação.

E vim como um Elo, um encontro, um toque.
E vim para fluir.
E fluo.

Sou loba, sou ursa.
Mãe e filha, irmã e avó.
Sou sinfonia, sou Outono.

Eu sou o Mundo, sou a Vida.
Sou a Deusa e o Deus.

Sou Universo.

In the Depths of her Soul Pt. 5 – Cinza Chumbo

 

 

natmorg

 

Por Natasha Morgan

Rachel deixou o carro estacionado numa das vagas do necrotério.

Para um sábado, a cidade até que estava tranquila. Algumas lojas de artesanato estavam abertas, uma chocolateria, o bar de Erin que, por sinal, estava bastante cheio, uma sorveteria. A igreja na esquina encontrava-se transbordando de gente, todos muito bem vestidos. Ao que parecia, aqueles religiosos levavam a sério frequentar a casa de Deus.

Rachel deu sorte de não encontrar Charlotte espiando a rua e, antes que pudesse ter uma surpresa, correu para dentro do edifício mórbido.

Continuar lendo “In the Depths of her Soul Pt. 5 – Cinza Chumbo”

Musa dos Corações Partidos

lola

Por Lillithy Orleander

A garrafa de Jack Daniels balançava para frente e para trás, fazendo o líquido âmbar, dançar na luz pálida.

Carros passavam por ela e buzinavam, sábado á noite, presa fácil pros “boyzinhos”, que não perdiam tempo e mexiam com palavras, assovios e convites promiscuosos.

As lágrimas lavavam – lhe a face borrando o rímel barato, que traçava um caminho sinuoso até as maçãs do rosto.

Continuar lendo “Musa dos Corações Partidos”

Como uma Onda

ran

Como uma Onda

Escrito por: Lua Morgana.

  Fazia um dia muito quente lá fora, amanheceu calor. E eu tinha que levantar e encarar mais uma rotina incessante. Não que eu não gostasse das coisas que fazia diariamente, pelo contrário, adorava ser professora de dança. Mas só de imaginar aquele calor infernal, dava vontade de me jogar no mar o dia inteiro e esquecer minha vida por uns instantes. Infelizmente não poderia ir à praia naquele dia, estava ensaiando uma turma para uma apresentação de férias, estava muito empolgada e ansiosa com essa performance.

Continuar lendo “Como uma Onda”

Alma em Sombras… (+18)

AES

Por Lillithy Orleander

 

Ela batia a cabeça na parede acolchoada, presa a camisa de força de maneira ritmada, como quem contasse as batidas do relógio. O sorriso macabro começava a ganhar forma, e os lábios manchados de sangue deixavam a vista o mal que estava prestes a ressurgir e se apoderar dela.

Ela pediu para morrer, mas ninguém deixou…

3

Era apenas mais um dia comum, a casa de veraneio acabara de ser comprada, como se fosse a realização de um sonho.

Os longos cabelos ruivos esvoaçavam ao sabor da brisa que soprava por entre as arvores, enquanto ela descia do carro e tirava o óculos para olhar melhor a residência.

Lilly tinha em mente o inicio de uma nova vida.

Continuar lendo “Alma em Sombras… (+18)”

Guardião da noite Sagrada

Guardião da noite Sagrada

 Por Ragnus Luke

Eu levarei a sua alma de volta para casa e o guiarei para a cúpula sagrada aonde a montanha bate no sol Nenhuma palavra de perdão, por nossos pecados será ignorado a matilha do lobo sagrado uiva essa noite perante nossos irmãos os sacerdotes da lâmina divina guiarão seu espírito para a batalha gritando palavras do sagrado lua no vento

Eu sou o irmão da noite, o filho do crepúsculo sangrento Nunca estarei sozinho, pois ,minha garra esta com o meu destino eu, sou o guardião da noite, os herdeiro santificado Manterei a tempestade viva, e a lua temida Sou feito de carne, mais minha alma é resistente como aço Para sempre, o anjo de um deus humano. Continuar lendo “Guardião da noite Sagrada”

Tons de Vermelho (Pt. 4) – Prazeres +18

beijo-cangote

Por Mille Meiffield

O Franny`s estava praticamente vazio, quando esfriava quase ninguém aparecia. Sentei no balcão mesmo e pedi uma dose de tequila. Virei o copo no mesmo instante em que o barman o encheu. E pedi que o enchesse novamente. Minha mente estava uma bagunça. O que Hayden estava fazendo comigo? Ele havia me hipnotizado. Aquele maxilar quadrado, seus lábios carnudos, a pele bronzeada, aquele sexy sotaque latino. Virei mais uma dose de tequila. Dessa vez tirei uma nota de cem dólares do bolso e coloquei sobre o balcão exigindo que o barman deixasse a garrafa de tequila ao meu lado.

Depois de um tempo pensando no que fazer da minha vida dali por diante e de estar na segunda garrafa da bebida, senti uma mão no meu ombro. Olhei para trás já pensando em gritar com Hayden novamente, mas não era ele, era Kyle. Continuar lendo “Tons de Vermelho (Pt. 4) – Prazeres +18”

A Dama de Fogo (Final) – Dama da Meia-noite

6330f6848f34509ed9d3b4e6c49f52be

A Dama de Fogo – Capítulo 8 (Final)

Dama da Meia-noite

Escrito por: Morgana Owl.

Brigith fora obrigada a passar mais tempo do que desejara longe da sua vida. Afastara-se de tudo e todos, ficara vivendo apenas das coisas que a floresta lhe cedia. Vez ou outra o padre Dom lhe trazia mantimentos e uma palavra amiga. Ele não poderia fazer nada além disso, não poderia levantar suspeitas. Sempre que ia visitar Brigith na floresta, ele dizia aos seus superiores que precisava ir a um vilarejo próximo, ajudar uma família carente.

A cada visita do padre, Brigith agia de maneira meio animalesca em busca dos alimentos que ele lhe trazia. Na floresta os alimentos eram escassos, itens de higiene pessoal eram raros, ela economizava ao máximo cada coisa para durar muito. Era sempre um alívio quando ouvia o assobio longínquo do padre.

Continuar lendo “A Dama de Fogo (Final) – Dama da Meia-noite”

O Coração Cintilante – Pt. 1 – A Mudança

 

Silan 2

Por A. Silan

Erica Winseth, é ou era, uma bela e batalhadora mulher cuidou de seu filho sozinha, nunca pediu e nem aceitou ajuda de ninguém, nem mesmo do, bem sucedido e amado pai. Sempre com a desculpa de “Pai, se eu não for capaz de dar ao meu filho o melhor, então não deveria nem ter engravidado”, Erica, pobre e afortunada Erica, abusada pelo professor de educação física, engravidou aos 16 anos, mas aceitou e abraçou o filho, saiu de casa, apenas carregando suas roupas e 300 dólares.

Jefferson, seu pai, quis ajuda-la, mas então ela usou esta frase, e completou ainda, “fora que, pai, esta riqueza é sua, só será minha quando o senhor partir, até lá, meu pai amado, devo ir atrás de minhas próprias fortunas, mas não me venha partir cedo, esta me ouvindo? Seu neto tem que conhecer o avô.”, falou, rindo e chorando. Ah Erica, como era linda e forte.

Continuar lendo “O Coração Cintilante – Pt. 1 – A Mudança”

A Senhora da Boa Morte

macaria

Por Lillithy Orleander

A Primavera sempre me trazia boas lembranças…

O perfume e as cores sortidas de minha floricultura me traziam memórias alegres, que muitas vezes eu pensava estarem esquecidas e o doce sorriso de minha pequena Josephine.

Ela tinha o habito de entrar correndo quando chegava perguntando – me o que eram frésias, á que classe pertenciam as orquídeas e as flores do campo.

Seu cabelo sempre estava bagunçado, mas o lírio, sua flor preferida estava sempre atrás de sua orelha.

Continuar lendo “A Senhora da Boa Morte”

As Duas Faces da Eternidade

 

3fc88884409c8bd546b78bbf95274b6f

 Um Crossover de: Morgana Owl e Lillithy Orleander.

separador-down

Gostaria de contar uma breve história para vocês, sobre minha paixão não correspondida. Espero que vocês não se sintam triste por mim, pelo contrário, que fiquem apaixonados, assim como sou.

Sempre ouvi falar dela… toda misteriosa, ninguém sabe explicar exatamente como ela é de fato. Alguns até tentam, mas não passa de suposição. Os que a conhecem, não retornam para dizer como é, como age.

Por causa desse mistério, temem-na. Como temer algo que não conhecemos? Mas é exatamente isso que nos faz temer: o desconhecido. Porém, não canso de dizer que sou apaixonada por ela! Essa nuvem de terror que a envolvem, me deixa ainda mais fascinada. Continuar lendo “As Duas Faces da Eternidade”

Tons de Vermelho – Ser Forte, Para Quê? (Pt. 3) +18

1476925

Por Mille Meiffield 

Cheguei em casa me sentindo leve. Embora a equipe fosse aumentar – e tenho certeza que vai ficar muito mais forte – eu estava de volta ao meu lugar. À vida que escolhi.

Depois de tomar banho e comer alguma coisa, sentei no sofá e peguei um bom livro. Há muito tempo a leitura me deixava confortável e preenchia um grande vazio dentro de mim. Minha concentração não estava boa. A cada cinco minutos meus olhos se voltavam para a porta. Senti a falta de Hayden. Hoje ele não poderia vir, pois ficaria na delegacia com Ryan Collins, seu subsargento traçando planos estratégicos para a emboscada de amanhã.

Meu despertador tocou e acordei assustada. Havia adormecido no sofá. Com o livro sobre meu peito. Corri para tomar banho e me arrumar. Era uma emboscada perigosa. Estávamos atrás de um dos maiores traficantes de meta-anfetamina do estado.

Continuar lendo “Tons de Vermelho – Ser Forte, Para Quê? (Pt. 3) +18”

Tons de Vermelho – O Passado Sempre volta (Pt. 2) +18

258911-664x479

Por Mille Meiffield

Eu tinha acabado de sair do banho quando a campainha tocou. Mas será que ele era maluco? Eu pensei que ele não fosse levar aquilo a sério. Transar com ele era ótimo, mas ele era meu chefe.

Deixei a campainha tocar mais uma vez. Gritei que já estava indo, mas ele insistiu na campainha. Me enrolei na toalha e fui atender a porta assim mesmo. Quando a abri fiquei paralisada e sem ar. Não era Hayden, era Alex, um ex-namorado violento que me agrediu há alguns anos antes de eu me mudar para Ohio. Na época eu era uma menina assustada, mas depois que me tornei detetive da inteligência, nada mais podia me amedrontar.

Continuar lendo “Tons de Vermelho – O Passado Sempre volta (Pt. 2) +18”

Tons de Vermelho – Qual Seu Verdadeiro Nome? (Pt. 1) +18

Tons de Vermelho – Qual Seu Verdadeiro Nome? (Pt. 1) +18

Por Mille Meiffield

Meus amigos estavam trabalhando essa noite, mas eu estava desesperada por uma bebida. Ficar oito meses de licença médica após levar um tiro me fez repensar certas coisas. A vida foi feita para ser vivida plenamente, então ao menos duas vezes por semana eu saía com o pessoal para beber. Temos um bar rotineiro, mas como hoje estou sozinha, preferi ir a algum lugar diferente.

The Lounge? Parece um nome bem legal para um bar.

No interior do The Lounge notei pessoas de um tipo bem diferente do que eu estava acostumada. Parecia haver pessoas importantes ali.

Esbarrei acidentalmente em uma mulher de corpo esguio, altura mediana e lábios que com certeza foram moldados por um cirurgião plástico. Ela me olhou de cima a baixo com cara de nojo, se virou e foi embora.

Continuar lendo “Tons de Vermelho – Qual Seu Verdadeiro Nome? (Pt. 1) +18”

Férias Macabras Pt. 4

fm

Por Mille Meiffield e Lillithy Orleander

AJ

Natasha estava jogada no corredor, perto da porta do quarto da Naia. Seu rosto parecia estar molhado, uma garrafa de tequila estava a seu lado.

– Fazendo o que aí, “cabelinho”*?

– Se a Naia não queria nada comigo, não precisava sumir, bastava dizer a verdade e pronto. Não sou idiota!

– Ei Romanoff calma! Para de palhaçada, a Nai gosta de você. – É, eu sei que gosta, mas não sei o quanto.

Abeixei e me sentei a seu lado. Fiquei ali quieto, esperando ela terminar de chorar. Eu não tinha paciência para mulheres chorando, mas alguma coisa me manteve ali.

Continuar lendo “Férias Macabras Pt. 4”

O Coração Cintilante – Prólogo

Silan

Por A. Silan

O mundo possui seus segredos, segredos dos quais eles odeiam que sejam revelados.

Um jovem, acabou, sem querer, descobrindo alguns desses segredos.

O jovem Artur, acabará de se mudar para sua nova casa, uma mansão, que sua mãe, e única família, herdou. Seu avô, Jefferson Winseth, era um “explorador/escritor”, mas seus livros, sempre cheios de fantasia e sobrenatural, passavam bem longe da realidade. Pelo menos, era isto que o próprio Artur pensava, mesmo sendo o, como seu próprio avô o chamava, fã numero um. Mas isto não é importante para a historia, ou importa?

Bem, em todo caso, já foi falado, talvez isto importe ou não para Artur, só saberei quando começar a contar, não é verdade?

Mas por onde começo, hum… Contar já da parte que ele quase morreu e muito tarde, mas contar suas primeiras semanas e muito cedo. Bem, como meu pai gostava de dizer, “antes cedo que atrasado”, e ele sempre teve razão, espere, estou me distraindo novamente, prometo me policiar mais, agora, vamos iniciar a historia de Artur, um jovem de pouco mais de 10 anos, que sem querer, descobriu alguns segredos do mundo…

CONTINUA…

Ventania

omuluobaluaie1

 

Escrito por Naiane Nara

Ninguém compreende realmente o que é a solidão até ter que viver imerso nela. Mesmo sendo um Orixá, filho da poderosa Nanã, sofri o abandono e a solidão.

Alguns dizem que a minha mãe usou um feitiço para engravidar, por isso nasci diferente dos outros. Mas também soube que a bela Oxum o fez para curar sua infertilidade, e seu filho não nasceu como eu; pelo contrário, Logun Edé é belo e forte, o orgulho de seus pais.

Não sei o que realmente aconteceu para que eu assim nascesse, mas foi a vontade de Orunmilá, imagino que algo eu deveria dar ao mundo.

Porém o caminho não tem sido fácil. Continuar lendo “Ventania”

Escarlate

Escarlate

☾ “Scarlet” do In This Moment

 

OBSERVEI-A RODOPIAR COM a leveza de uma pluma ao vento. Sua face era um papel em branco, sem deixar qualquer sentimento ou sensação transparecer. Na ponta dos pés, uma elegância que transbordava, chegando até a ponta dos dedos longos e finos de suas mãos. O vestido que usava se moldava perfeitamente ao seu corpo feérico de jovem mulher.

Contemplei além de sua dança; contemplei sua pele marmórea e as veias azuladas que saltavam aos olhos de meu demônio interior… Contemplei sua alma como um pérfido predador à caça de sua próxima vítima indefesa. Ela era tudo que queria, tudo o que ansiava em mais de três séculos de existência, além do líquido escarlate que embebia seu ser.

Continuar lendo “Escarlate”

O Vale das Almas

Escrito por: Morgana Owl.

7337ebcc798795784aa64c516186eaf3

Estava tudo escuro, não enxergava nada. Parecia que havia faltado luz no mundo inteiro, e eu estava sozinha. Sem nenhum barulho, nenhuma voz familiar por perto para me acalentar. Não lembro de nada que aconteceu, parece que aquele dia foi um borrão… está tudo distorcido na minha mente, estou tentando me lembrar e não consigo! Quero gritar, mas ninguém irá me escutar. Estou me sufocando com meus próprios pensamentos.

– Socorro! – Tentei, mas não saia voz, só a sensação de estar falando.

Continuar lendo “O Vale das Almas”